OKI Brasil participa da inauguração do Projeto Goiás Biométrico

 Goias_Biometrico.jpg

 

O vice governador, Jose Eliton, tem sua biometria de digitais colhida na unidade móvel do Instituto de Identificação; ao centro, Milton Noguchi, diretor da OKI Brasil, o diretor do Instituto de Identificação, Antonio Maciel e Sergio Patria da área de produto software – biometria, da OKI Brasil; à direita, o diretor Noguchi no interior da Unidade Móvel, com todos os equipamentos usados no cadastro biométrico.

 

No dia 18 de maio a OKI Brasil participou de solenidade de lançamento do projeto Goiás Biométrico em todas as suas frentes: civil e criminal. O evento, realizado em Goiânia, contou com a presença do vice-governador de Goiás, Jose Eliton, do secretario de segurança pública, Ricardo Balestreri e de Antonio Maciel, diretor do Instituto de Identificação do Estado de Goiás, entre outras autoridades. O projeto conta com um sistema completo de identificação civil e criminal desenvolvido e implantado por um consórcio formado pelas empresas OKI Brasil e BioLógica.

 

Na solenidade, o vice-governador Eliton anunciou a extensão do Goiás Biométrico para todos os postos de identificação no Estado. Até então, a solução, contemplando todo o procedimento de atendimento à população civil para a emissão de cédulas de identidade (ou Registro Geral – RGs) e atestado de antecedentes, estava limitada, numa fase piloto, à sede do Instituto de Identificação e um posto do Vapt Vupt, um shopping de serviços públicos rápidos, ambos localizados na capital do Estado, Goiânia. Com isso, a emissão de RGs e atestados diversos no Estado ganhará grande agilidade, caindo, respectivamente, de 30 e 60 dias para 3 e 7 dias na capital e para cidades no interior.

 

Essa maior agilidade se dará também pela modernização e substituição dos processos atuais: antes da adoção do sistema, por exemplo, era necessário o transporte físico de documentações e fotos, além da manipulação manual dos itens exigidos para a expedição dos documentos.

 

Ao adotar uma solução de completa e moderna de identificação, o Goiás Biométrico também será utilizado para evitar fraudes de identidade no Estado e para facilitar o acesso a serviços de saúde e benefícios de programas sociais em Goiás. Outro importante desdobramento do projeto é a investigação e solução de casos na área criminal. Com a base biométrica, é possível identificar, a partir de fragmentos de impressões digitais, evidências da presença de suspeitos em cenas de crimes.

 

A tecnologia do Goiás Biométrico também está se mostrando uma valiosa ferramenta na busca e identificação de desaparecidos. “O projeto Goiás Biométrico se tornou uma ferramenta indispensável às atividades do Instituto de Identificação e para a Polícia Civil do Estado, além de colocar Goiás na vanguarda do uso de biometria no Brasil”, avalia Antonio Maciel, diretor do Instituo de Identificação do Estado de Goiás.

 

Atendimento móvel

 

Em meio à solenidade da extensão do projeto Goiás Biométrico também foi anunciado para o público o Caminhão Itinerante do Instituto de Identificação, uma unidade móvel que conta com toda a tecnologia de biometria do projeto embarcada e que levará os benefícios do Goiás Biométrico para cidades de pequeno porte, comunidades isoladas e também para o cadastro da população carcerária no Estado. O uso desta unidade móvel, além de inovador, também mostra a preocupação do projeto com a prestação de bons serviços à população e ao uso responsável de recursos públicos, já que a unidade itinerante conseguirá levar o benefício do cadastro biométrico à população nestas localidades a um com custo menor do que o que seria exigido para montar uma estrutura de coleta biométrica dedicada em cada uma, e que poderia ficar em desuso após picos de demanda.