Goiás Biométrico tem primeiro caso de detecção de nome verdadeiro
Goias_fingerprint  

O sistema Goiás Biométrico, desenvolvido e implementado por um consórcio das empresas OKI Brasil e BioLógica na Secretaria de Segurança Pública de Goiás, registrou seu primeiro caso positivo de detecção de nome verdadeiro, desde a implantação do novo sistema na Central Geral de Flagrantes (CGF) da Polícia Civil. O sistema, que utiliza uma tecnologia de cadastro biométrico de impressões digitais, possibilita o rápido confronto de fragmentos de impressões digitais em locais de crimes com os arquivos do Instituto de Identificação.

 

De acordo com informações da Assessoria de Imprensa da Polícia Civil, no dia 3 de abril, um homem que se identificou como Rodrigo Rodrigues da Silva, e que posteriormente se apresentou como Thiago Sequeira da Silva, foi conduzido, após abordagem policial, para a seção de Papiloscopia da CGF. Na identificação, nada foi encontrado nos arquivos civil e criminal pela pesquisa nominal.

 

No entanto, as impressões digitais do homem foram coletadas e submetidas à pesquisa no sistema Goiás Biométrico, a fim de confirmar a identidade do suspeito. A pesquisa encontrou uma impressão digital cadastrada no Registro Geral Civil em nome de Rodolfo Roberio Leandro da Silva, de 29 anos, que se encontra em situação de abandono do regime semiaberto da unidade prisional de Guapó.

 

Implantado no Estado de Goiás, o sistema Goiás Biométrico possibilita enorme precisão nos processos de cadastro criminal, permitindo fazer pesquisas com grande agilidade e, na parte civil, contribui para uma prestação eficiente de serviços ao cidadão, viabilizando por exemplo maior agilidade na emissão de documentos como RGs, entre outros benefícios.

Confira o comunicado original da Assessoria de Imprensa da Polícia Civil neste link: https://goo.gl/drwVam.