OKI Brasil mostra a mais avançada tecnologia biométrica para serviços públicos nas esferas civil e criminal na Biometrics HITech

A OKI Brasil, que tem ampla experiência na implementação de projetos de biometria de grande porte no Brasil, nos setores público e privado (incluindo o maior projeto de biometria no setor privado, em um grande banco brasileiro com mais 40 milhões de registros), leva a sua tecnologia de biometria para o Biometrics HITech. Lá os visitantes poderão conhecer as inovações e os resultados do projeto Goiás Biométrico, um caso de sucesso de biometria no setor público brasileiro.

 

Além de patrocinar o evento, a OKI Brasil estará presente no Caminhão Itinerante do Instituto de Identificação de Goiás, uma unidade móvel que conta com toda a tecnologia do projeto Goiás Biométrico embarcada. O caminhão foi desenvolvido para levar os benefícios do cadastro biométrico para cidades de pequeno porte e comunidades isoladas, e também para o cadastro da população carcerária em todo o Estado de Goiás. O uso desta unidade móvel, além de inovador, também mostra a preocupação do projeto com a prestação de bons serviços à população e o uso responsável de recursos públicos: o uso da unidade itinerante é mais barato do que a implantação de estrutura de coleta biométrica em cada localidade.

 

“Baseado em sua experiência com projetos de grande porte no país, a OKI Brasil tem segurança para afirmar que a adoção de soluções de biometria aumenta a eficiência na prestação de serviços e previne fraudes”, afirma Milton Noguchi, diretor da Unidade de Negócios de Automação Bancária da OKI Brasil.


O evento Biometrics HITech, que reúne  conferência e feira de exibição de tecnologias de biometria e identificação, acontece de 29 a 31 de agosto, no Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada, em Brasília, em paralelo ao XIV Congresso Brasileiro de Identificação.

 

Agilidade e precisão - O Goiás Biométrico é um dos mais avançados projetos de biometria no setor público no Brasil. Dimensionado para dar conta de mais de 8 milhões de registros, conta com um sistema completo de identificação civil e criminal desenvolvido e implantado por um consórcio formado pelas empresas OKI Brasil e BioLógica. Sua plataforma biométrica é utilizada tanto pela segurança pública como por diversos outros órgãos do Estado de Goiás. Permite a implantação de políticas públicas de maneira segura e eficiente, garantindo a unicidade do cidadão. Alguns exemplos são: gerenciar o pagamento de funcionários do Estado, estabelecer o controle no fornecimento de medicamentos de alto custo e prevenir fraudes na concessão de benefícios sociais, entre outros.

 

Na área civil, quando totalmente implantado, a solução permitirá o cadastro biométrico da população e agilizará de forma significativa a emissão de cédulas de identidade (ou Registro Geral – RGs), caindo de 30 dias na capital e 60 dias no interior para 3 e 7 dias respectivamente. Ainda poderá reduzir a emissão de atestados de antecedentes, de 25 dias na capital e 50 dias no interior para o mesmo dia em ambos os caos.

 

Essa maior agilidade se dará também pela modernização e substituição dos processos atuais: antes da adoção do sistema, por exemplo, era necessário o transporte físico de documentações e fotos, além da manipulação manual dos itens exigidos para a expedição dos documentos. O Goiás Biométrico também será utilizado para evitar fraudes de identidade no Estado e para facilitar o acesso a serviços de saúde e benefícios de programas sociais em Goiás.

 

Outro importante desdobramento do projeto é a investigação e solução de casos na área criminal e também na busca e identificação de corpos de pessoas encontradas sem documentos, na busca por desaparecidos ou na identificação de pessoas que não estejam portando documentos de identificação e que não sejam capazes de se comunicar, como pessoas portadoras de distúrbios mentais, por exemplo. Em diversos casos, o Goiás Biométrico foi capaz de identificar suspeitos a partir de fragmentos de impressões digitais encontradas em locais de crimes e, recentemente, conseguiu identificar com precisão um foragido da justiça.

 

“A expertise da OKI Brasil em trabalhar com impressões digitais, se relacionar com as empresas participantes do projeto, atuar na digitalização de workflow e na implementação do algoritmos biométricos favoreceu o sucesso do projeto”, comenta Antonio Maciel, diretor do Instituto de Identificação da Polícia Civil de Goiás, e líder do Projeto Goiás Biométrico. 

 

Com a tecnologia do Goiás Biométrico, o estado de Goiás assume a vanguarda na adoção de biometria no País e ganha grande agilidade e eficiência na prestação de serviços, com redução significativa de custos operacionais para o Estado.

 

Serviço

Biometrics HITech

Quando: 29 a 31 de agosto

Local: Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada, Brasília – DF

%MCEPASTEBIN%